sexta-feira, 28 de maio de 2010

e ao 7º dia...

Começou finalmente a prova, depois de mau tempo, chuva, muita instabilidade atmosférica e trovoadas.

Ainda assim foi definida uma manga curtinha e definidos os horários para bastante cedo, pois havia o risco de sobredesenvolvimentos a partir das 3 da tarde.
deslocámo-nos para outra descolagem que ainda não conhecíamos. Enorme! descolam 200 asas ao mesmo tempo, tudo verdinho, de relva (a fazer lembrar Mirandela :)

A manga consistiu numa ida de cerca de 25 km pelas cristas fora, a saltar de vale para vale e regresso á descolagem. Mais uma perna na encosta e ataque ao golo em Abtenau. Total 54km.
O andamento foi alucinante com o grupo da frente a terminar em pouco mais de 1h.
Havia sempre muitas nuvens e apesar dos cirrus em cima, muitos cúmulos a funcionar bem, com tectos a várias altitudes a permitir o slalom por ali fora. A rota era mais ou menos óbvia não dando para muitas jogadas tácticas. Por isso houve sempre grupos compactos até ao final, ora adiantando-se ora separando-se conforme a decisão de seguir a direito ou perder algum tempo na térmica para fazer o tecto máximo. Foi pura corrida de velocidade!
o Team Portugal descolou mais ou menos ao mesmo tempo, com o Cláudio a colar rapidamente aos top guns da prova e o restante da equipa a seguir também bem posicionado.
É notória a vantagem das asas da nova geração, com transições bastante mais eficientes e (aparente?) estabilidade quando toca a acelerar.
No ataque á penúltima baliza ficou mais ou menos tudo decidido, com o francês Luc Armant (designer da Ozone) a afirmar-se na frente e mais alto que os restantes. ganhou destacado do grupo perseguidor. O Cláudio, que foi o voo todo na testa da corrida, arriscou a tirada final saindo mais baixo mas acabou por não conseguir picar imediatamente a última baliza e teve de gastar algum tempo para subir novamente o que o fez atrasar.
Aqui as decisões são fulcrais e uma pontinha de sorte por vezes também dá jeito, com as linhas de ascendente a revelarem-se de extrema importância pois é possivel andar rápido e subir sem perder tempo a enrolar térmica.

de volta á corrida: o Nuno V. que seguia na molhada da frente, atacou a última baliza juntamente com o Búlgaro Yassen e arrancaram juntos. mais umas voltinhas fundamentais para garantir a chegada e siga, prego a fundo para a última tirada de 7 km. É difícil estimar a posição pois chegou um grupo bastante compacto nos primeiros 10 minutos.
Pouco depois chegam o Cláudio e o Paulo Nunes, seguidos pelo Cristiano (que registou a velocidade mais elevada entre todos: 75km\h). O Nuno G fechou a equipa pouco depois.

Muita gente no golo, chegaram 134 dos 141 descolados!
Amanhã há mais, estamos com a pica toda!

resultados provisorios aqui

mais algumas fotos do dia aqui

PRODUÇÕES RONACHER

2nd task - 11th Paragliding European Championship from Cláudio Virgílio on Vimeo.

Sem comentários:

Publicar um comentário